Inici Blogs Els senyals, el temps d’àries, una força estranya…

Els senyals, el temps d’àries, una força estranya…

34

Tinc sensacions noves aquest diumenge i no serà senzill explicar-les. Procedeixen de fonts diferents, però crec que diuen la mateixa cosa. El principal senyal és dins meu, percebo sensibilitat i intuicio, alguna cosa gran està a punt d’arribar. Em batega el cor i el noto més que mai, energia poques vegades sentida. I segur que és per alguna cosa. Coincideix tot plegat amb la proximitat del temps dels àries, com jo, unes setmanes que per a mi sempre son especials. I aquest any, sospito que més. El sol de la primavera avançada, que arriba quan arriba el meu signe és un altre senyal. És un sol que acaricia i no fa mal, i el món es torna verd, que és el meu color, i l’aire porta el perfum de plantes aromàtiques. Avui he aconseguit el millor registre en piscina de 25 metres de la meva vida, el físic respon, la disciplina te resultats. Altres auguris són externs, les coses que diu Branko sobre els dies que vindran (amb mi, el meu horoscopista mai no s’equivoca) i les previsions meteorològiques, tan importants per a mi, que anuncien pluja a partir de dijous. Tant de bo que sigui generosa, la llevantada que espero. És com si tot es confabulés, com si les peces del trencaclosques de la vida iniciessin els moviments màgics d’una nova era personal… I escric, i escric i el cor em batega, i sento i penso i em sento pensat i desitjat com mai, sento una força estranya, que no és només cosa meva, ni causa del meu optimisme, és una altra cosa…

Força estranha. Caetano Veloso

Eu vi um menino correndo
Eu vi o tempo brincando ao redor
Do caminho daquele menino

Eu pus os meus pés no riacho
E acho que nunca os tirei
O sol ainda brilha na estrada e eu nunca passei

Eu vi a mulher preparando outra pessoa
O tempo parou pra eu olhar para aquela barriga
A vida é amiga da arte
É a parte que o sol me ensinou
O sol que atravessa essa estrada que nunca passou

Por isso uma força me leva a cantar
Por isso essa força estranha
Por isso é que eu canto, não posso parar
Por isso essa voz tamanha

Eu vi muitos cabelos brancos na fronte do artista
O tempo não para e no entanto ele nunca envelhece
Aquele que conhece o jogo, do fogo das coisas que são
É o sol, é o tempo, é a estrada, é o pé e é o chão

Eu vi muitos homens brigando, ouvi seus gritos
Estive no fundo de cada vontade encoberta
E a coisa mais certa de todas as coisas
Não vale um caminho sob o sol
E o sol sobre a estrada, é o sol sobre a estrada, é o sol

Por isso uma força me leva a cantar
Por isso essa força estranha
Por isso é que eu canto, não posso parar
Por isso essa voz tamanha

Por isso uma força me leva a cantar
Por isso essa força estranha
Por isso é que eu canto, não posso parar
Por isso essa voz tamanha